PEGADAS NA AREIA – Poema de Margaret Powers

Livro revela quem é a misteriosa autora do poema
que inspirou milhões de pessoas em todo o mundo
Em Pegadas na areia, Margaret Fishback Powers
conta como escreveu o texto, que é bestseller no Canadá
“Uma noite eu tive um sonho. Sonhei que estava andando na praia com o
Senhor e, através do Céu, passavam-se cenas de minha vida. Para cada cena
que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia; um
era meu e o outro, do Senhor (…)”. Esse é o início do poema mais conhecido pelo
título Pegadas na areia, e que vem atravessando o mundo como sendo de autor
desconhecido. No livro Pegadas na areia, que está sendo lançado pela Editora
Fundamento, e que começa a chegar às livrarias de todo o Brasil, a autora
Margaret Fishback Powers apresenta provas de que escreveu o texto na década
de 60 e que o título original é Eu tive um Sonho.
O assunto é controverso e o livro já é um sucesso de vendagem no
Canadá. “Fico profundamente emocionada quando ouço que o poema Pegadas
na areia significou muito para alguém (…) Minha mais ardente prece é que a
verdadeira história dele tenha uma missão ainda mais abençoada nos dias
vindouros”, frisa.
Margaret conta na obra que a idéia do poema surgiu quando ela pensava
em se casar e, após um passeio na praia com o namorado, escreveu o texto. “De
repente, me dei conta de que estava escrevendo um verso livre, o que não era
comum para mim (…), acostumada a escrever em versos rimados ou em quadras”,
lembra. Ela só descobriu que o poema tinha ganho vida e rumo próprios quando o
marido esteve internado num hospital e ouviu o poema da boca de uma
enfermeira que queria confortá-lo.
A obra traz trechos da vida da autora, recheados de emoção, dificuldades e
alegrias. Ela se identifica como a pessoa que nos momentos difíceis é carregada
por Deus – assim como no poema.

O Poema:

PEGADAS NA AREIA
“Uma noite eu tive um sonho. Sonhei que estava andando na praia com o
Senhor e, através do Céu, passavam-se cenas de minha vida. Para cada cena
que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia; um
era meu e o outro, do Senhor.
Quando a última cena de minha vida passou diante de nós, olhei para trás,
para as pegadas na areia, e notei que, muitas vezes no caminho de minha vida,
havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e
angustiosos de meu viver. Isso entristeceu-me deveras, e perguntei, então, ao
Senhor: ‘Senhor, Tu me disseste que, uma vez que eu resolvera Te seguir, Tu
andarias sempre comigo em todo o caminho, mas notei que, durante as maiores
atribulações de meu viver, havia na areia dos caminhos da vida apenas um par de
pegadas. Não compreendo por que, nas horas em que mais necessitava de Ti, Tu
me deixaste’.
O Senhor me respondeu: ‘Meu precioso filho. Eu te amo e jamais te deixaria
nas horas de tua prova e de teu sofrimento. Quando viste na areia apenas um par
de pegadas, foi exatamente aí que Eu, nos braços, te carreguei’.”

Fonte: Editora Fundamento

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: