Painéis solares ainda são uma opção cara de energia elétrica

Apesar de serem uma excelente alternativa para o combate a poluição, comparados com outras formas de geração de eletricidade, os painéis solares ainda não compensam em termos de economia doméstica.O custo de aquisição e instalação desses painéis são maiores do que o dinheiro que será economizado na conta de energia elétrica paga durante toda a vida útil dos painéis (20 anos para os que utilizam membrana fina e 25 anos para os painéis fotovoltaicos). A estimativa é que eles terminem custando cerca de 2,5 vezes o valor de toda a eletricidade que irão produzir.A expectativa é que sejam adotados incentivos governamentais que promovam a utilização dessa fonte alternativa de energia elétrica em todo o mundo.Portugal é um dos países que mais promovem a utilização de energia elétrica utilizando painéis solares através de leis que incentivam seu uso em residências. Este país possui também o maior fabricante mundial de painéis solares a empresa Energie que fabrica cerca de 90 mil painéis solares termodinâmicos por ano, sendo que cerca de 60% da produção é consumida no mercado nacional, e os restantes 40% exportados para países como Espanha, França, Estados Unidos, Irlanda, Reino Unido, Bélgica, Luxemburgo, Itália e Alemanha.Como funcionam os painéis solares:A eletricidade solar ou energia fotovoltaica que é a produção de energia elétrica a partir da radiação solar não deve ser confundida com outras formas de energia, em particular o calor, a partir da radiação solar – que é chamada energia solar térmica.Um painel ou módulo solar é um conjunto de células solares ligadas entre si que produzem eletricidade ao serem expostas à radiação solar. Cada célula é feita de material semicondutor ( material cuja condutividade elétrica aumenta ao ser exposto à radiação ) que é processado de modo a manter um campo elétrico constante.
A maioria dos painéis solares elétricos instalados no mundo (cerca de 90%) são feitos de silício cristalino mas alguns fabricantes utilizam também painéis de silício amorfo como os que são utilizados nas calculadores portáteis.Outros materiais como o cadmium telluride (CdTe) ou o Cobre Indio Desilenio (CuInSe2 ou CIS) os chamados painéis de membrana fina, também são utilizados pela indústria. Além desses tem ainda outros de utilização em situações em que o custo não é fundamental, como na indústria espacial, como nos satélites por exemplo onde são utilizados painéis de materiais mais caros como arsenieto de gálio e células compostas.Quando não há sol, a energia utilizada é a que foi acumulada em baterias. Embora por questões de economia de dinheiro os painéis solares ainda não sejam muito atraentes, sua utilização colabora em muito para a preservação de nosso planeta. Calcula-se que para fabricar células solares de silício o retorno energético é obtido em 2 anos, ou seja, esse seria o tempo em que os painéis levariam para retornar a energia que foi gasta para produzi-lo. Como a vida útil desses painéis é de 25 anos pode-se concluir que um painel solar produzirá ao longo da sua vida dez vezes mais energia do que aquela que foi necessária para o fazer.Fontes: http://www.inovacaotecnologica.com.br/http://solar.fc.ul.pt/faq.htmhttp://engenhariacivil.wordpress.com/2007/08/19/maior-fabrica-mundial-de-paineis-solares-em-portugal/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: