Honda Fit 2008

A Honda quando lançou o Fit em 2006 visava atender o público japonês que queria um carro prático, econômico e durável.

Mas foi só lançá-lo nos Estados Unidos que o fabricante percebeu que o carro se tornaria um sucesso mundial pois logo nos primeiros meses havia fila de espera para adquirir um.

Agora o Fit segunda geração lançado em outubro no Japão não almeja essencialmente o público japonês mas o mundo inteiro.

Diferentemente do Japão onde o Honda Fit é um carro com grande sucesso entre o público universitário, no Brasil o Fit é um carro mais ‘família’ e de um certo status. O motivo dessa mudança de público consumidor é basicamente devido ao maior poder aquisitivo dos japoneses comparados conosco.

As principais diferenças do Honda Fit modelo 2008 japonês para o que será montado no Brasil (aqui será oferecido como linha 2009) são o motor flex e, obviamente, a direção do lado esquerdo.

Em termos de dimensões mudou pouco: no comprimento aumentou 5,5 cm, 2 cm a mais de largura e 5 cm a mais do que a versão anterior na distância entre eixos, o piso da cabine ficou 7,6 cm mais rebaixado e os retrovisores 30% maiores.

Com molas e amortecedores mais flexíveis e braços mais longos na suspensão traseira deixam o carro mais firme na horizontal.

Na cabine várias melhorias inspiradas no Civic como a alavanca de câmbio, volante de três raios forrado em couro e com controle do rádio e piloto automático, além dos bancos que foram modificados aproximando-se do padrão do Civic. Em relação aos bancos, apoios de cabeça de embutir melhoram a visibilidade ao dirigir para trás. O próprio sistema modular (ULT) dos bancos foi bastante melhorado.

Além do computador de bordo, o Fit traz de série: airbag duplo, ar-condicionado, ABS e BAS, trio elétrico e câmbio CVT . Como opcionais são oferecidos no Fit 2008: teto solar panorâmico, câmbio automático de cinco marchas, câmera para manobra de estacionamento além de banco dianteiro giratório para facilitar o acesso.

Em termos de motorização, o Fit conta com motor dianteiro transversal de 4 cilindros, 8V, injeção multiponto de 1339 cm³ e 100 cv de potência a 6 mil RPM.

As dimensões ficaram: 390 cm de comprimento, 169 cm de largura, 152 cm de altura, 250 cm entre eixos. O peso ficou em 1010 kg.

O porta malas tem capacidade para 363 litros e no tanque de combustível cabem 42 litros.

Freios a disco nas 4 rodas com sistema ABS e EBD.

Fonte: Revista Quatro Rodas

Anúncios

As Apostas Do Mercado Automobilístico Para 2008

Chevrolet Vectra GT
Ao final do ano passado (2007) o Vectra Hatch já tinha alcançado a média de 1100 unidades ao mês, superando em 200 o seu rival Golf (900 unidades/mês) da Volkswagen e o Fiat Stilo (930 unidades/mês). Quase alcançou o Peugeot 3007 que vendeu em média 1400 unidades/mês e o Focus da Ford que chegou a 1500 unidades/mês. Embora esteja ainda bem aquém do campeão de vendas Astra Sedan (que teve uma média de 2300 unidades vendidas ao mês), o estreante modelo Hatch do GM Vectra mostra que tem futuro.
Citroën C4 Pallas
Embora ainda não tenha cumprido as metas de vendas estabelecidas pela Citroën de vender 2000 unidades ao mês o Pallas com 1500 unidades/mês já superou o Ford Fusion (1200 veículos) e o Mégane da Renault (850 unidades / mês) e tende a fixar-se na quarta posição entre os sedãs médios ficando atrás dos mais baratos Vectra, Corolla e Honda Civic.
Fiat Punto
O Punto superou todas as expectativas de Fiat e segue com as vendas de vento em popa. Este ano espera-se que ele supere a média de 3500 unidades mensais devendo superar o VW Polo (2200 unidades/ mês) e o Citroën C3 (3000 mensais) seus rivais diretos no mercado.

Renault Logan
Já o Logan em seus primeiros seis meses de vendas superou o Clio Sedan pois vendeu 14400 unidades enquanto o Clio 12900. A expectativa é que termine este ano de 2008 deverá se igualar aos sedãs compactos concorrentes Fiesta Sedan e o Prisma .

Via: Revista Quatro Rodas fevereiro de 2008

Nano – O Carro Mais Barato Do Mundo


A indústria automobilística dá sinais de que irá se voltar para os carros de baixíssimo custo, a exemplo da indiana Tata que apresentou recentemente o seu modelo de 2500 dólares.

Batizado de Nano o carro anunciado pelo empresário Ratan Tata tem quatro portas, motor de 623 cm³ e 33 cv medindo 3,1 metros de comprimento. Com motor de dois cilindros ele possui a metade de um Fiat Uno Mille 1.0 considerado o carro mais barato no mercado brasileiro. Em termos de tamanho elçe perde em apenas 13 centímetros para o Uno na distância entre eixos. Já para o Celta ele perde em 70 centímetros no tamanho.

O Nano possui rodas de aro 12 (como as da Asia Towner) e segundo o fabricante ele faz 20 km por litro, atendendo as normas de emissões da Euro4 que será adotada no Brasil já no ano que vem (2009). Seu peso fica em 580 quilos graças a acordos com fornecedores como a Bosch por exemplo que forneceu motor de partida e alternadores bem mais leves que o normal.

Na ânsia de reduzir custos a Tata optou por utilizar no Nano um limpador de pára-brisa único, rodas presas com apenas 3 parafusos, pneus sem câmara, retrovisor apenas do lado do motorista, utiliza placas de metal e plástico coladas (e não soldadas), possui câmbio manual de 4 marchas e motor de alumínio que contribui enormemente para a redução de seu peso.

Mesmo considerando que o valor de 2500 dólares deverá sofrer um acréscimo de 20% de impostos, ainda assim o carro indiano Nano deverá ser insuperável em termos de custo final.

O concorrente direto Suzuki Maruti M800 (foto à esq) custa o dobro e o chinês Chery QQ3 que é considerado o mais barato veículo do mercado, não sai por menos de 3900 dólares.

O principal problema dos indianos será manter o preço baixo para os mercados de outros países. No Brasil o preço dos carros importados sobem de 2,5 a 3 vezes. Mesmo nos Estados Unidos um carro chinês por exemplo de 4 mil dólares termina ficando por cerca de 7 mil dólares ao sofrer a taxação de impostos.

Mas é na Índia mesmo que surge o maior concorrente do Nano: O Bajaj Lite que tem previsão de lançamento para a próxima década e deverá custar em torno de 3 mil dólares. A Bajaj tem um acordo com a Renault-Nissan para criar um carro ainda mais barato que o Logan.

Outros fabricantes de peso já entraram na corrida para criar carros a preços populares como o Nano. A Hyundai tem seu i10 que é equipado com motor 1.1. de 60 cv e que custa cerca de 8500 dólares. A Volkswagem mesmo um dia depois do anúncio da Tata anunciou também que possui planos para a produção do Up! Com custo aproximado de 5 mil dólares. Especula-se que a japonesa Toyota estaria com um projeto baseado no conceito iQ o que resultaria num veículo na faixa de 7 mil dólares.

O modelo i10 acima é a aposta da Hyundai para o mercado dos carros de populares baratos.

Fonte: Revista Quatro Rodas (Fevereiro de 2008)

Eos da Volksvagem vira para o Brasil

Segundo uma matéria na edição de fevereiro do periódico português AutoHoje (Motorpress International) a Volkswagen já teria fechado contrato para exportar ao Brasil, China e México o seu conversível “Eos “.

O lançamento no Brasil deverá acontecer no segundo semestre de 2008 e segundo o Carro Online o preço deverá estar na mesma faixa que o Peugeot 307 CC e o Renault Mégane Coupé-Cabriolet, entre R$ 120 e 140 mil reais.

O Eos é um conversível produzido na fábrica de Palmela e tem como destaque seu teto corrediço de cinco seções cujo primeiro segmento pode ser levantado para funcionar como um teto solar. O exemplar exposto no Salão do Automóvel de São Paulo, era equipado com motor 2.0 e câmbio de seis marchas (manual).

Via: TERRA

Chevrolet Vectra Elite c/motor 2.0 e GPS

Chevrolet Vectra Elite com motor 2.0 Flewpower e GPS de Série.
Modelo chega ao mercado com preço ainda mais competitivo, unindo-se à versão 2.4 litros deixando assim a linha mais completa.

A linha Chevrolet(GM) Vectra ganha um reforço importante neste ano de 2008: a versão Elite, que vem equipada de série também agora com o motor 2.0 8V Flexpower e o sistema de GPS de Navegação. O modelo top da família Vectra continua sendo oferecido: Elite 2.4 16V.

Essa nova opção para o consumidor brasileiro (Vectra Elite 2.0 8V) tem preço de lançamento a partir de R$ 76.527,00. O preço deste Chevrolet Vectra Elite 2.0 8 V é bastante competitivo em relação a sua concorrência porque seu IPI é mais baixo comparado ao do modelo com motorização 2.4 16V pois essa diferença foi repassada integralmente pela Chevrolet.

A expectativa da General Motors do Brasil (Gm) é duplicar as vendas da versão mELite atingindo a marca de 5 mil unidades/ano aproximadamente.
Em 2007 o Vectra alcançou a marca de 30.518 unidades, representando 17,3% do segmento e sedãs médios de luxo, posicionando-se entre os veículos mais vendidos da categoria.

Segundo Jaime Ardila, presidente da GM do Brasil e Mercosul, com a chegada desta nova versão, o Chevrolet Vectra passa a atender ainda mais às necessidades do consumidor que busca um automóvel único, com tecnologia de ponta, estilo elegante e alta qualidade.

O vice-presidente da GM do Brasil José Carlos Pinheiro Neto acrescenta que “o vectra Elite 2.0 é o primeiro lançamento da Chevrolet no mercado nacional em 2008 de uma série de outros que vêm por aí neste ano quando aChevrolet completa 100 anos.

O modelo topo de linha continua luxuoso e agora equipado com um motor que proporciona excelente dirigibilidade, por um preço ainda mais competitivo”

O Sistema de Navegação por GPS (Sistema de Posicionamento Global) está disponível no Vectra Elite 2.0 8V sem qualquer custo adicional para o consumidor.

O equipamento tem na facilidade de uso e um dos seus pontos fortes tendo tido ótima recepção já no Vectra GT/GT-X de 2007.

O GPS que equipa o Vectra conta com processador de 400 Mhz, monitor de 3,5″ colorido de alta resolução. Este navegador possui dados sobre muitas cidades brasileiras facilitando a localização de rotas e destinos além de permitir com facilidade encontrar as concessionárias Chevrolet em todo o Brasil.

Além dos 323 mil pontos de interesse catalogados na memória como ruas, avenidas, aeroportos, bares, casas de espetáculos, etc, o equipamento permite marcar favoritos, selecionar trajetos (curto ou rápido), alertar sobre velocidade máxima bem como reproduzir arquivos de áudio, vídeo, fotos e de atualizar seu conteúdo gratuitamente.

Referência: Jornal Momento Regional(RS)

Como Desenhar Carros, pessoas, etc

Novo Ka 2008 – Conheça Aqui as Novidades que ele apresenta


O novo Ford Ka 2008, é oferecido em duas versões :

Ford Ka com motor 1.0 Flex (70 cavalos com gasolina e 73 álcool), o preço do modelo básico é R$25.190:

Ford Ka 2008 Básico: 1.0L Flex Base (Pára-choque na cor do veículo + Travas elétricas + Controle Remoto c/ abertura e fechamento das portas e porta-malas + Botão localizador + Alarme volumétrico + Travamento automático a 15 km/h + Abertura do porta-malas no painel)

A segunda opção é com motor 1.6 Flex (102 cavalos/gasolina,110 álcool). A configuração básica está na faixa de RS$ 32.340,00:

Ford Ka 1.6L Flex Base + Kit Fly + Vidros elétricos

Já a versão com todos os opcionais fica em torno de R$36.390,00. Veja abaixo os opcionais que foram agregados:

Ford Ka 1.6L Flex Base + Kit Pulse + Kit Class + Rodas de liga leve 14″ + Air Bag

Veja abaixo alguns pontos da análise feita pela revista Quatro Rodas de dezembro de 2007:

O Novo Ford Ka 2008 traz de série um sistema que alerta a respeito das revisões que devem ser feitas no veículo.
O controle é feito por tempo ou distãncia, aquele que vier antes faz acender um indicador no painel.
Além disso ele traz trava elétrica com acionamento automático a 15 km/h, abertura automática do porta malas e alarme, todos acionáveis por controle remoto.

Ele está 15 cm mais comprido que o seu antecessor o que aumentou o espaço do bagageiro de 106 para 205 litros. Ficou bem mais fácil guardar coisas no porta malas devido a altura do solo que agora é de 55 cm.

Melhorias na altura do teto propiciam uma viagem mais confortável aos passageiros do banco de trás.

Aproximadamente 85% das peças e partes do carro são itens que já existiam nas prateleiras da Ford.
A régua da placa traseira veio do Fiesta Sedan, o brakelight e os retrovisores são do Fiesta Hatch.

As rodas de liga leve e calotas aro 14, os motores 1.0 flex e 1.6 flex bem como o câmbio também são do Fiesta.

A parte da frente do monobloco é do Fiesta Street e a caixa de direção é da EcoSport.
Já os limpadores de pára-brisa, portas e antena são do próprio Ka anterior.
O painel e os mostradores bem como o câmbio com acionamento por cabos são específicos para este Ka.

A lataria exposta dentro da cabine compromete em parte o isolamento acústico do veículo. Além do ruído, outros problemas identificados são a necessidade de uma segunda chave para o tanque de combustível e o fato do estepe ter ficado embaixo do carro o que facilita o roubo.

A suspensão traseira sofreu um ajuste ficando 11% mais dura para equilibrar o peso de 20 kg a mais da nova lataria.

No geral a conclusão é de que o novo Ka é mais equilibrado que seu antecessor.

Os índices apresentados pela revista foram:

Desempenho
0-100 km/h(2) (A) …………………………………….16,7
0-1000 m(s) (A)………………………………………… 37,6
3ª 40 a 80 km/h (s) (A)…………………………….. 10,3
4ª 60 a 100 km/h (s) (A)…………………………… 17,4
5ª 80 a 120 km/h (s) (A) ……………………………32,4
velocidade máxima (km/h) 9A) …………………32,4
Frenagem 120/80/60 km/h a 0 (m) …………73,8/30,8/17
Ruído Interno 80/120 km/h (dBA) …………..62,2 / 70,5
Velocidade Real a 100 km/h……………………… 94,5

Consumo
Consumo cidade (km/l) …………………………………….7,4
Consumo Estrada km/l…………………………………… 10,6
Tanque de combustível autonomia (l)/ (km) ……45 / 478,3

Fonte: Revista Quatro Rodas e Site da Ford