Volkswagen Fox: O Porta malas pode amputar seu dedo

Donos do VW Fox perdem parte do dedo ao rebater o banco traseiro para ampliar o espaço do porta-malas. A notícia é da revista Época que pode ser conferida na íntegra no link ao final deste post.

Para rebater o banco traseiro do Volkswagen Fox o usuário tem que puxar uma alça flexível que fica presa numa argola de metal na parte de inferior do banco traseiro, rente ao assoalho do veículo.

A operação é simples. Os acidentes acontecem quando a pessoa coloca o dedo dentro da argola geralmente tentando puxar a alça que esteja sob o banco traseiro. Logo que o mecanismo é destravado, uma mola é acionada e recolhe a argola puxando junto o dedo do usuário violentamente para dentro. Já houve nos últimos 3 anos 8 casos de mutilações que resultaram em perda parcial do dedo neste tipo de acidente ao rebater o banco traseiro do VW Fox.

Há inclusive um nono caso de um usuário que, na tentativa de tentar tirar o dedo que foi puxado pela argola teve a outra mão esmagada pelo banco enquanto estava apoiada no assoalho do carro.

A coordenadora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, Maria Inês Dolci, afirma que “Pela quantidade de pessoas prejudicadas com o mesmo problema, o recall já devia ter sido feito”.

A resposta da montadora quando questionada sobre o caso foi de que o sistema está dentro das normas de segurança e que o recall não será realizado.

O manual do veículo, que segundo a montadora instrui corretamente como utilizar o sistema, não alerta para a possibilidade de um acidente grave caso o usuário coloque o dedo dentro da argola. Segundo um engenheiro consultado pela revista Época há falha no projeto. Tanto que no Fox que é exportado para a Europa a argola não existe, não sendo possível a um usuário do veículo se acidentar desta forma.

Sete pessoas já teriam entrado na justiça devido aos acidentes causados pela utilização deste sistema de rebatimento do banco traseiro do VW Fox.

Veja a matéria completa da revista Época AQUI

Sobre o mesmo assunto encontrei o depoimento de um usuário do Fox que talvez esclareça um pouco mais sobre como o acidente acontece. Ele afirma que quando se rebate o banco pela primeira vez as alças que devem ser puxadas estão todas ao alcance das mãos estendidas sobre o assoalho do porta malas. Mas, ao rebater o banco as alças ficam escondidas sob o assoalho. Desta forma o quando o usuário vai repetir a mesma operação numa outra ocasião as alças estão fora de alcance. Então usuário na tentativa de puxar as alças para fora ele coloca o dedo dentro da argola o que provocaria o acidente.

A recomendação é que se tenha muito cuidado ao manusear esse mecanismo de rebatimento do banco traseiro.

Outra matéria sobre esse problema do carro da Volks pode ser encontrada no site da QUATRO RODAS Aqui neste Link

Atualização: Em nota no site da Volks ela esclarece:
“Tendo em vista as recentes reportagens publicadas na imprensa sobre o sistema de rebatimento do banco traseiro do Fox, a Volkswagen do Brasil vem reiterar aos seus clientes que a operação desse sistema é segura, bastando seguir corretamente as instruções contidas no Manual do Proprietário.
Com a certeza de que não existe problema com o sistema e que não se trata de caso de ?recall?, a Volkswagen, que acima de tudo respeita o compromisso assumido com a satisfação de seus consumidores, informa que, a partir da próxima semana, irá oferecer para todos os clientes que ainda tenham dúvidas a instalação gratuita de uma peça adicional que evita eventuais erros na operação de rebatimento do banco traseiro do Fox. Esse serviço poderá ser realizado em toda a Rede Autorizada de Concessionários Volkswagen.Com relação à diferença entre os modelos do Fox vendidos no Brasil e na Europa, esclarecemos que o banco do Fox europeu é bi-partido e exigiu uma solução técnica diferente. O Fox brasileiro com banco bi-partido possui o mesmo sistema do europeu. “
Veja no site da VW

Anúncios

Novo Ka 2008 – Conheça Aqui as Novidades que ele apresenta


O novo Ford Ka 2008, é oferecido em duas versões :

Ford Ka com motor 1.0 Flex (70 cavalos com gasolina e 73 álcool), o preço do modelo básico é R$25.190:

Ford Ka 2008 Básico: 1.0L Flex Base (Pára-choque na cor do veículo + Travas elétricas + Controle Remoto c/ abertura e fechamento das portas e porta-malas + Botão localizador + Alarme volumétrico + Travamento automático a 15 km/h + Abertura do porta-malas no painel)

A segunda opção é com motor 1.6 Flex (102 cavalos/gasolina,110 álcool). A configuração básica está na faixa de RS$ 32.340,00:

Ford Ka 1.6L Flex Base + Kit Fly + Vidros elétricos

Já a versão com todos os opcionais fica em torno de R$36.390,00. Veja abaixo os opcionais que foram agregados:

Ford Ka 1.6L Flex Base + Kit Pulse + Kit Class + Rodas de liga leve 14″ + Air Bag

Veja abaixo alguns pontos da análise feita pela revista Quatro Rodas de dezembro de 2007:

O Novo Ford Ka 2008 traz de série um sistema que alerta a respeito das revisões que devem ser feitas no veículo.
O controle é feito por tempo ou distãncia, aquele que vier antes faz acender um indicador no painel.
Além disso ele traz trava elétrica com acionamento automático a 15 km/h, abertura automática do porta malas e alarme, todos acionáveis por controle remoto.

Ele está 15 cm mais comprido que o seu antecessor o que aumentou o espaço do bagageiro de 106 para 205 litros. Ficou bem mais fácil guardar coisas no porta malas devido a altura do solo que agora é de 55 cm.

Melhorias na altura do teto propiciam uma viagem mais confortável aos passageiros do banco de trás.

Aproximadamente 85% das peças e partes do carro são itens que já existiam nas prateleiras da Ford.
A régua da placa traseira veio do Fiesta Sedan, o brakelight e os retrovisores são do Fiesta Hatch.

As rodas de liga leve e calotas aro 14, os motores 1.0 flex e 1.6 flex bem como o câmbio também são do Fiesta.

A parte da frente do monobloco é do Fiesta Street e a caixa de direção é da EcoSport.
Já os limpadores de pára-brisa, portas e antena são do próprio Ka anterior.
O painel e os mostradores bem como o câmbio com acionamento por cabos são específicos para este Ka.

A lataria exposta dentro da cabine compromete em parte o isolamento acústico do veículo. Além do ruído, outros problemas identificados são a necessidade de uma segunda chave para o tanque de combustível e o fato do estepe ter ficado embaixo do carro o que facilita o roubo.

A suspensão traseira sofreu um ajuste ficando 11% mais dura para equilibrar o peso de 20 kg a mais da nova lataria.

No geral a conclusão é de que o novo Ka é mais equilibrado que seu antecessor.

Os índices apresentados pela revista foram:

Desempenho
0-100 km/h(2) (A) …………………………………….16,7
0-1000 m(s) (A)………………………………………… 37,6
3ª 40 a 80 km/h (s) (A)…………………………….. 10,3
4ª 60 a 100 km/h (s) (A)…………………………… 17,4
5ª 80 a 120 km/h (s) (A) ……………………………32,4
velocidade máxima (km/h) 9A) …………………32,4
Frenagem 120/80/60 km/h a 0 (m) …………73,8/30,8/17
Ruído Interno 80/120 km/h (dBA) …………..62,2 / 70,5
Velocidade Real a 100 km/h……………………… 94,5

Consumo
Consumo cidade (km/l) …………………………………….7,4
Consumo Estrada km/l…………………………………… 10,6
Tanque de combustível autonomia (l)/ (km) ……45 / 478,3

Fonte: Revista Quatro Rodas e Site da Ford